Pé na estrada

Pé na estrada

domingo, 29 de maio de 2011

CHAPADA DIAMANTINA - PARTE III

Apesar da empolgação com Buenos Aires, precisamos terminar de contar nossa história na Chapada.


Nosso terceiro dia começou com um maravilhoso café da manhã da pousada Casa da Hélia. Como havíamos dito antes, um excelente lugar para se hospedar.
            Nesse dia, havíamos combinado com Rose e Marcos passeios mais distantes de Lençóis. Nosso primeiro destino foi Mucugêzinho, que fica a uns 20 minutos de carro de Lençóis. Há um estacionamento bem próximo do lugar, e andamos apenas uns 5 minutos. O lugar é bem aconchegante, conta com 2 bares e é muito bom para banho. O mais inusitado do lugar é que existe uma pequena pousada que os quartos são cravados nas rochas, como pequenas cavernas. Pra quem gosta de lugares bem rústicos e em meio à natureza, fica a dica!



Mucugêzinho


Mucugêzinho

            Podíamos ainda visitar o Poço do Diabo, localizado também em Mucugêzinho, mas como nosso roteiro naquele dia era longo, preferimos seguir logo para a Pratinha. Por asfalto e estrada chão, o caminho entre Mucugêzinho e a Pratinha levou cerca de uma hora de carro. Fica localizada já no município de Iraquara.
A pratinha é um lugar indescritível, por mais que tentemos nossas palavras não se aproximarão da experiência que é estar naquele lugar. Trata-se de um rio de água super cristalinas e muito geladas, formado pelas água advindas das grutas da região. A água é tão cristalina que é possível ver os peixes nadando ao fundo. O local também oferece serviços como mergulho, aluguel de quadriciclo e tirolesa. Para acessar o lugar é preciso pagar uma taxa de 10,00 reais. É possível a cobrança, pois o local fica numa propriedade privada.

Nós na Pratinha


Pratinha

Pratinha

Pratinha


Ficamos toda a tarde na Pratinha e próximo das 5 horas fomos para o Morro do Pai Inácio. Nossa pretensão era ver o pôr-do-sol do alto do morro. Parte da subida do morro fizemos de carro e depois seguimos por uma trilha bastante íngreme a pé.  Apesar de ser uma caminhada árdua, é bem curtinha e em não mais que 20 minutos estávamos no alto do morro.
O visual lá de cima é fantástico! É possível ver boa parte da região e ainda de quebra ouvir um dos guias contar a lenda do negro Inácio, a qual deu nome ao morro. Ficamos quase uma hora lá em cima contemplando a paisagem e próximo das 6 fomos presenteados com  um por-do-sol indescritível! Melhor deixar as imagens falarem...

Morro do Pai Inácio

Morro do Pai Inácio

Morro do Pai Inácio

Morro do Pai Inácio


 Morro do Pai Inácio

Esse dia encerramos com um belo jantar  no restaurante Grisante! Filé a parmegiana foi uma boa pedida!

Nossa viagem pela chapada ainda não terminou, mas por enquanto ficamos por aqui!

3 comentários:

  1. viiixe! vcs ficam alimentando essa minha vontade de conhecer a chapada!!! rsrsrs...

    ResponderExcluir
  2. Valeu Lane! O lugar ajuda muito viu! =)

    ResponderExcluir